10.9.10

PAZ


O Espaço Entre o Equilíbrio
e a Igualdade

Todos falam de paz, mas não sabem o que é paz. Todos dizem que é para a paz que nos colocamos contra a guerra.
As pessoas preferem render-se contra o seu ser interior, o seu ser mais bondoso, o seu ser mais amoroso, então se revoltam contra o oposto, ou seja, contra o ódio, contra a guerra, contra as injustiças, e tudo isso é viver na oposição.
O espaço entre o equilíbrio e a igualdade é a paz interior, é o estar em harmonia, é o estar em equilíbrio com todas as coisas.
O ser humano possui a ilusão dessa separação, o medo. Toda e qualquer oposição é motivada pelo medo.

Quantas vezes cada um de vocês diz que está em paz, mas não entendem o porquê das coisas erradas, o porquê da violência, o porquê das injustiças. Pelo simples facto de não entenderem, não estão em paz. Enquanto existir nas vossas mentes a oposição, não se cria paz.
A única forma de ter paz, de ser paz, é permitir para vós próprios que, as experiências dos outros por mais tenebrosas que sejam, nunca vos afectará. Verão também a paz dentro das outras pessoas, verão a luz, verão o amor de Cristo que é a verdadeira natureza do ser, e reconhecerão a vossa consciência pacífica mais ampliada.
Podem também dizer que ficarem quietos e deixarem tudo acontecer e não fazerem nada? Até que é verdade, mas opôr-se para criar mais guerras? O que fazer? Paz, o estar em paz e o ser paz, é simplesmente o que a paz faz. Esteja em paz, viva, respire, dance, oiça música, cante, crie e imagine, certamente verá paz.

O ego humano é propício para criar medo, para criar a oposição, para criar guerras, distrai-vos e não vos deixa perceber que, felicidade, amor, plenitude, são produto de paz interior; crítica, luta e dor, são produto de guerras humanas.
Abram os vossos corações para a essência das causas, das vossas oposições, e façam as pazes com tudo isso. Quando puderem amar, verdadeiramente amar, sem ter medo, mas, pelo contrário, terem mais amor, terem mais compaixão por todo esse processo, o vosso mundo será transformado e retomará a sua verdadeira natureza: PAZ.
Lumena

20 comentários:

Angélica Lins disse...

Nossa, que texto lindo pra iniciar um fim de semana.

Beijos querida.

LUmeNA disse...

Que linda, sempre linda!

Grata querida, óptimo fim-de-semana!

Be:)os,
Lumena

Edson Carmo disse...

Lumena,

A Paz não é nada que se possa encontrar do lado de fora. Olhe, veja! Todo o empreendimento que tem sido feito em prol da Paz, tem sido feito do lado de fora – daí o motivo deste mundo não conhecer a Paz, e não estar em Paz.

No dia em que o homem perceber que, encontrando Paz interior, é impossível a guerra! Então, um novo empreendimento será feito, mas agora do lado de dentro, no interior do homem. A Paz está dentro de mim; a Paz está dentro de você; a Paz está dentro de cada um de nós. A única coisa que podemos fazer, é, descobri-la.

Belíssimo texto, parabéns!

Edson Carmo

LUmeNA disse...

Edson Carmo,

A Paz está dentro de cada um de nós, e para a descobrirmos temos de ir às profundezas do nosso interior, não viver na superfície, não tocar somente na espuma das águas, mas encarar a vida de frente e mergulhar para além da superfície da vida, onde todas as verdades e todas as realidades podem ser descobertas.

Grata,
Lumena

Eduardo Aleixo disse...

Concordo com as tuas palavras. Quando temos paz semeamos paz.
Olha: talvez o meu post, de hoje, fale, por outrass palavras, neste mundo leve em que a paz canta e dança de mansinho. Vai lá ler, se te apetecer. Bj

LUmeNA disse...

Eduardo Aleixo,

Grata pela tua participação.

Certamente irei ver o teu post.

Be:)os,
Lumena

Eduardo Medeiros disse...

LUmena, se eu entendi bem o seu texto, você acredita que podemos ter paz não nos deixando 'contaminar" pelas "guerras". Mas é possível ter essa paz plena, total, enquanto o mundo todo não pode experimentá-la? Não somos de uma forma ou de outra, afetados pelo "exterior" ainda que nosso interior vá bem?

São apenas questões para refletirmos.

abraços

LUmeNA disse...

Eduardo Medeiros,

Exactamente. É possível ter Paz interior plena e total, cada um de nós, para que o mundo todo, ou seja, toda a humanidade possa experienciar. Agora, enquanto o mundo todo não puder experimentar, certamente faltará algo importante. Na verdade, é que cada um de nós pode, de alguma forma, contribuir para a consciencialização interior. De facto, pela própria natureza existencial dos seres, atinge-se a Paz interior. No nosso universo interior existe um mar de todas as possibilidades, aí tudo é possível. A primeira coisa que se faz é filtrar todo o desejo, sabemos que a mente prevalece sobre tudo, então, o que se pode fazer? Observar, observar e transformar-se naquilo que quer, isso é a vontade consciente. É o seu puro universo.
Só somos afectados pelo "exterior", não tendo o perfeito equilíbrio, ainda que o nosso interior vá bem. Perfeito equilíbrio em tudo.
Ouve-se muito dizer, "Eu perdoo, mas não consigo esquecer". Isto é a realidade, porque enquanto alguém se lembrar do dano, nunca perdoa. A melhor forma para perdoar é chegar ao ponto central do equilíbrio, o ponto da boa vontade, o AMOR. É o que toda a humanidade deve fazer.

Excelentes questões para reflexão. Grata.

Abraços,
Lumena

Eduardo Medeiros disse...

Sim, Lumena, é tudo o que a humanidade “deveria” fazer mas não faz. Mas você está certa que no mundo interior há uma gama infinita de possibilidades e existe possibilidade real de se estar em paz e equilíbrio. Eu me referia especificamente na possibilidade de sermos afetados pela condição inumana que muitos vivem ao nosso redor. Como ter paz se milhares de crianças morrem de fome em alguns lugares da África? Como dormir em paz sabendo que pessoas não têm uma cama para dormir? É nesse sentido que creio que somos afetados pelas circunstâncias desequilibradas que vemos ao nosso redor. Sei que a maioria das pessoas nem pensam nisso já que não estão muito preocupadas com o que acontece no mundo desde que sua situação esteja boa. Mas para quem tem essa consciência, como não sofrer também? como não se deixar às vezes, ficar com a paz interior afetada?

Olha, teu texto suscitou várias questões em mim, estou apenas dizendo o que me vêm aos sentimentos. Mas concordo também com você que o amor é o ponto de equilíbrio em nós e por ele devemos buscar viver e interagir com os outros. Ainda que em vários pontos do mundo agora, crianças e adultos estão morrendo pela falta desse ponto de equilíbrio por parte dos poderosos deste mundo. Mas meu Deus, o que eu posso fazer por uma criança especifica que nesse momento, geme de fome em lugares tão distantes de mim? Se estivisse aqui, no meu raio de ação, se fosse “meu próximo” eu poderia saciar-lhe a fome ao menos.

Nós como humanidade ainda temos um longo caminho a percorrer até alcançamos toda as nossas potencialidades interiores que possuem por base o amor. Vamos fazer nossa parte.

valeu, Lumena, um grande abraço. Você é uma mulher iluninada.

LUmeNA disse...

A humanidade toda está de olhos fechados, a humanidade, o ser humano precisa de se conhecer, e isto é tão vital quanto alimentar-se, defender-se ou amar.
Sabemos sobretudo que o homem em perpétua preocupação perante as condições inumanas, continua a procurar incessantemente conflitos, sofrimentos, desesperanças, originando guerras. Sendo assim, não estamos a viver no presente, apenas sobrevivendo neste inferno.
O grande problema é que a humanidade vive no campo do ideal, e esquecem-se de viver no campo do real. A nossa realidade, a realidade de todos nós, como seres humanos, só pode ser alterada quando nós próprios tomamos consciência dos nossos actos, quando somos capazes de pensar por nós próprios, e não pensar a partir do pensamento de outros indivíduos, líderes, políticos. O líder mais importante somos nós próprios. De vez em quando devemos dar ouvidos à desrazão. A onda de violência em que vivemos hoje, tudo o que observamos: milhares de seres humanos que morrem à fome, em todos os pontos do mundo, que não só em África, ao desequilíbrio da distribuição monetária, existindo hoje, duas classes: os muito ricos e os muito pobres! O desinvestimento cultural pelo próximo. Nem sempre o outro foi visto como próximo, ou como alguém, que pelo facto de ser humano, é aceite como um de nós. Infelizmente, aprendemos a ver no outro, pela força das armas, pelo ódio, pelo extermínio em massa dos infiéis.
A humanidade tem um longo caminho a percorrer, mas já existem novas vozes, uma nova consciência, que se alarga, que se debruça sobre todos os malefícios. Esta nova consciência é deveras humana, não é difícil e está ao alcance de todos: O AMOR.

Valeu teu comentário. Grata!

Abraços,
Lumena

Rener Brito disse...

Quando o homem quer encontrar a paz, a busca fora ou dentro de si. Não há paz fora ou dentro do homem, exceto quando ele guarda as palavras da fonte de paz que é Cristo em seu coração.(João 14:23)

Abraços.

Rener Brito.

LUmeNA disse...

Rener Brito,

Exactamente amigo!
Essa é a força, a Paz só pode ser sentida e vivida como desígnio sobre a própria vida.

Abraços,
Lumena

carikaturARTE disse...



Um ZAP mata a PAZ...

Oi LUmeNA!

Tô te enviando a caricatura!

(espero que gostes, foi difícil chegar
ao conceito resultante, fora do convencional)

be:)os!

Tonho

LUmeNA disse...

carikaturARTE,

Tonho grata mui grata!

Adorei a caricatura. Excelente criatividade!

A consciência cultural visual, tem uma dimensão sensorial, bastante valorizada e cheia de significados.

Parabéns!

Be:)os,
Lumena

Diogo Rugeiro disse...

É impressão minha ou isto dava aso a mais discussão/comentários quando eu e o André ainda estávamos por cá...? Lol
Ta tudo bem?

LUmeNA disse...

Diogo Rugeiro,

Olá Diogo!!! Seja bem vindo.

Tu e o André desapareceram súbitamente. Sempre tiveram uma atenção da minha parte, assim como dou a todos que entram neste espaço.

Certamente é impressão tua, os meus posts estão abertos para todas as discussões/comentários, seja da vossa parte, como também de todos os comentaristas que entram neste espaço.

Eu estou bem e espero que vocês os dois também estejam.

Gostei de te ver por aqui!

Lumena

Eduardo Aleixo disse...

Passei por aqui para ver se havia novidaddes . Abraço

LUmeNA disse...

Eduardo Aleixo,

Novidades passa a haver aos sábados.

Abraços,
Lumena

Adh2bs disse...

Paz.
A serenidade para aceitar os fatos,
conviver com eles
e tomar as decisões ponderadas.
Comovendo-se ou se exaltando,
contemplando ou agindo,
conforme a paz interior indicar,
conforme a paz exterior precisar.
Grande abraço,
Adh

LUmeNA disse...

Adh2bs,

"conforme a paz interior indicar, conforme a paz exterior precisar."

Tudo aqui está para a paz. Grata.

Abraços,
Lumena